Pular para o conteúdo principal

Bienal chega ao fim da 19ª edição com debates sobre maternidade e literatura transexual

Em edição marcada por polêmica política com prefeito Marcello Crivella, feira tem último dia recheado de boas opções de mesas e debates


Por G1 Rio

Em uma edição marcada por, além de muitos livros e debates, uma grande polêmica envolvendo o prefeito Marcelo Crivella e sua proibição de vender livros com conteúdos considerados impróprios sem lacre, a 19ª Bienal do Livro chega ao fim neste domingo (08).
Quem vai curtir a saideira tem muito o que aproveitar. São 22 mesas, de assuntos variados, esperando para receber o público. O G1 separou alguns destaques da programação do último dia.
Mauricio de Sousa abre a Bienal do Livro de 2019 — Foto: Fernanda Rouvenat/G1Mauricio de Sousa abre a Bienal do Livro de 2019 — Foto: Fernanda Rouvenat/G1
Mauricio de Sousa abre a Bienal do Livro de 2019 — Foto: Fernanda Rouvenat/G1
Mauricio de Sousa autografa gibis
Pavilhão Laranja - 11h - Estande da Mauricio de Sousa Produções
Mauricio de Sousa participa de sessão de autógrafos da revista em quadrinhos do Edu, novo personagem da Tuma da Mônica com doença rara. A história aborda a importância do diagnóstico precoce da Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) e fala sobre inclusão.
Thaís Fersoza fala sobre seu livro 'Nasce uma mãe' — Foto: Jessica Mello/G1Thaís Fersoza fala sobre seu livro 'Nasce uma mãe' — Foto: Jessica Mello/G1
Thaís Fersoza fala sobre seu livro 'Nasce uma mãe' — Foto: Jessica Mello/G1
Maternidade e seus desafios
Pavilhão Verde - 13h - Encontro com autores
Convidadas: Thais Fersoza e Stephanie Sapin
Mediadora: Renata Sturm
A atriz e apresentadora Thais Fersoza conversa com a instrutura de gestantes Stephanie Sapin (Nasceu, e agora?) sobre seu livro “Nasce uma mãe” e os desafios da maternidade.
Fabrício Carpinejar discute os limites da privacidade na era digital — Foto: Divulgação/ImpulseOnFabrício Carpinejar discute os limites da privacidade na era digital — Foto: Divulgação/ImpulseOn
Fabrício Carpinejar discute os limites da privacidade na era digital — Foto: Divulgação/ImpulseOn
Evasão de Privacidade
Pavilhão Azul - 15h - Café literário
Convidados: Fabricio Carpinejar, Cora Rónai e Pedro Doria
Mediadora: Elis Monteiro
Em tempos digitais, como ficam os nossos dados, compartilhados o tempo todo, com e sem autorização? Esse é o debate proposto pela mesa.
Lázaro Ramos fala sobre audiobooks — Foto: Divulgação/TV GloboLázaro Ramos fala sobre audiobooks — Foto: Divulgação/TV Globo
Lázaro Ramos fala sobre audiobooks — Foto: Divulgação/TV Globo
Novos suportes do livro e leitura: audiobooks
Pavilhão verde - 17h30 - Conversa com autores
Convidados: Lázaro Ramos, Pastor Henrique Vieira e Camila Fremder
Mediadora: Flávia Oliveira
Camila Fremder (Adulta sim, madura nem sempre), Lázaro Ramos (Na minha pele) e Pastor Henrique Vieira (O Amor como revolução) debatem o crescimento do audiobook no Brasil. Com sessão de autógrafos.
Luiza Marilac integra mesa de debate sobre literatura transexual — Foto: DivulgaçãoLuiza Marilac integra mesa de debate sobre literatura transexual — Foto: Divulgação
Luiza Marilac integra mesa de debate sobre literatura transexual — Foto: Divulgação
Literatura trans
Pavilhão Verde - 19h - Arena #SemFiltro
Convidados: Luiza Marilac, Nana Queiroz, Natalia Travassos, Tarso Brant, Amara Moira e Mulher Pepita
Mediador: Felipe Cabral
A mesa vai abordar o crescimento da literatura escrita por pessoas transgêneras no Brasil, o país em que mais se mata transexuais no mundo.
Miriam Leitão discute os fatos recentes da história do país — Foto: GloboNewsMiriam Leitão discute os fatos recentes da história do país — Foto: GloboNews
Miriam Leitão discute os fatos recentes da história do país — Foto: GloboNews
Um longo olhar sobre o Brasil
Pavilhão Azul - 19h - Café literário
Convidados: Mário Magalhães, Miriam Leitão e Melina Risso
Mediador: Bernardo Mello Franco
Na mesa que encerra essa Bienal, Mário Magalhães, Miriam Leitão e Melina Risso falam dos fatos recentes da História do Brasil para lançar um olhar múltiplo sobre o futuro do país, com mediação do jornalista Bernardo Mello Franco.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…