Pular para o conteúdo principal

Carlinhos Brown abre primeira noite do II Congresso do Conhecimento

Vestido todo de branco e turbante preto, Carlinhos surgiu tocando seu berimbau e encantou o público presente.



Carlinhos Brown encantou o público que participou do II Congresso do Conhecimento
Carlinhos Brown encantou o público que participou do II Congresso do Conhecimento Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Por Larissa Troian

Repórter Dom Total

Cantor, percussionista, compositor, arranjador e ativista, Carlinhos Brown foi o convidado para abrir o II Congresso de Conhecimento, na noite de quarta-feira (11). O tema desta edição do evento, promovido pela Dom Helder Escola de Direito e Escola de Engenharia (EMGE), é “Empreendedorismo e inovação”.
Leia também:
Era pouco mais de 19h30 quando Carlinhos Brown subiu ao palco para apresentar a "palestra-show", mesclando música e relatos de sua experiencia como ativista de causas sociais. Acompanhado dos músicos Jaguar Andrade (guitarra), e Thiago Pugas (teclados) e vestido todo de branco e turbante preto, Carlinhos surgiu tocando seu berimbau e encantou o público presente. 
Gentil, animado e muito virtuoso, agradeceu aos estudantes e principalmente ao reitor da Escola Superior Dom Helder Câmara, professor Paulo Umberto Stumpf, e ao reitor da EMGE, Franclin Brito, pela oportunidade de participar do evento. Já na primeira canção, o público que lotava o auditório respondeu, acompanhando com emoção, entusiasmo e aplausos.


Ligado às causas sociais, o artista fundou, em 1994, a Associação Pracatum Ação Social (Apas), que tem por objetivo a melhoria da qualidade de vida dos moradores do bairro Candeal, em Salvador. O projeto de empreendedorismo promove o desenvolvimento comunitário e programas educacionais e culturais.

O artista conta que, no início do projeto, não estava preparado para desenvolver as ações sociais sozinho. A música foi o meio que encontrou para angariar parceiros, já que outros artistas se dispuseram a ajudar e concretizar a ideia. “A música foi a grande salvação econômica educacional na criação do Pracatum”.
Seu principal desejo era criar uma escola em um bairro de extrema carência não para ser apenas um lugar de informação, mas um lugar que pudesse encontrar caminhos de envolver a comunidade em torno de se desafiar a ponto de solucionar seus problemas: “Convidei pedagogos, psicólogos e apresentei o meu projeto. Quando começou a ganhar um corpo, surgiu a Pracatum”, relata.
No mesmo bairro de Candeal, Brown implementou também o Tá Rebocado, projeto com ações de urbanização e saneamento. Em 2002, a iniciativa recebeu o certificado de Melhores Práticas do Programa de Assentamentos Humanos das Nações Unidas/UM-Habitat. Tanto um projeto quanto o outro buscava “quebrar a imagem da favela”.
Emocionado, o artista conta que os projetos deram a oportunidade de os participantes terem experiência e um currículo e possibilitaram alfabetizar os moradores mais antigos do bairro Cardeal, além de reduzir drasticamente o enorme índice de alcoolismo. Tudo isso, para ele, permite às gerações futuras nascer em um ambiente “com mais positividade” e inseridos num espírito de comunidade.
Brown conta que “a partir de pessoas que eram capazes e estavam com o mesmo intuito de empreendedorismo social, surgiram as possibilidades de abrir outras associações e outras escolas, para ramificar isso, gerar um movimento de força”.
Para ele, projetos de empreendedorismo e inovação abrem espaço para o surgimento de novas ideias e pensamentos: “Hoje em dia, por exemplo, um menino de 20 anos pega o celular e inventa um aplicativo e dispara, pois ali ele encontra novas formas de pensamento”.
Confira a programação do evento:


Redação Dom Total

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…