Anúncios Parceiro Magalu - Erigleissonevoce

Cartazes com rostos de escritores espalhados em Cuiabá chama a atenção para a valorização da literatura

Trata-se de uma provocação estética e semântica, além de se configurar uma intervenção na dura linguagem urbana.


Por G1 MT

Neste sábado (21), Cuiabá acordou diferente. Pelos muros da cidade, estão pregados panfletos nos quais escritores são "procurados". Trata-se de uma provocação estética e semântica, além de se configurar uma intervenção na dura linguagem urbana.
"Se, de um lado, vivemos sob a égide da perseguição ao humanismo como expressão livre, por outro, escritores são procurados para nos salvar desse opaco período cultural. Procura-se porque os intelectuais estão sendo caçados", diz texto divulgado pelo advogado Eduardo Mahon, da Academia Mato-grossense de Letras (AML) e pelo escritor Caio Ribeiro.
Segundo eles, existem pessoas fazendo literatura de qualidade, no entanto, falta espaço, circulação e oportunidade. "Até mesmo nos ambientes em que seria previsível valorizar escritores, estamos nós arrostados por outras letras".
 
'As verbas minguadas formam uma colcha de retalhos tão curta quanto inútil', dizem advogado e escritor — Foto: Divulgação
'As verbas minguadas formam uma colcha de retalhos tão curta quanto inútil', dizem advogado e escritor — Foto: Divulgação

Eles citam o descaso com a literatura produzida em Mato Grosso, mas ao mesmo tempo pontos positivos, como:
  • A Unemat (Universidade do Estado de Mato Grosso) adota escritores mato-grossenses no exame vestibular;
  • As escolas particulares fazem encomendas às editoras e agendam visitas de escritores a turmas interessadas em conversar sobre literatura;
  • Editoras nunca tiveram tanta demanda, escritores iniciantes e veteranos, unidos no fazer literário
  • Recentemente, o município de Juína abriu procedimento para a aquisição de obras literárias para abastecer a biblioteca municipal que recebeu premiação internacional
  • Tangará e Cáceres, Sinop e Barra do Bugres, Santo Antônio do Leverger e Lucas do Rio Verde são cidades onde o público lota os auditórios quando há lançamento de livros.
 
Cartazes trazem rostos de escritores do estado — Foto: Divulgação
Cartazes trazem rostos de escritores do estado — Foto: Divulgação

Milhares de lambe-lambes com rostos de mais vários escritores de Mato Grosso tomaram o espaço púbico. A grande escala repete estes rostos com a mesma frase.
"Literatura é sonho em prosa ou poesia, é invenção e reflexão, é retrato e criação. Literatura é arte. É a arte que constrói a nossa identidade e não nos deixa esquecer de que somos humanos. Reduzir literatura ao utilitarismo é uma violência. É dizer: a poesia e a ficção não prestam para nada. As mentes mais obtusas interpretam a autonomia da arte como falta de serventia. Quanta pobreza intelectual, quanta aridez estamos vivenciando atualmente, uma mentalidade típica de fanáticos e ditadores", diz.
 
Intervenção é uma provocação estética e semântica — Foto: Divulgação
Intervenção é uma provocação estética e semântica — Foto: Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Morre o acadêmico Murilo Melo Filho

‘Ideias para adiar o fim do mundo’ e entrar na lista