Pular para o conteúdo principal

Livro de arquiteta cearense resgata a estrutura das cozinhas ancestrais às modernas


Ana Virginia Furlani passeia pelos hábitos de cozinhar e de comer em publicação lançada na Casa Cor Ceará esta semana


Quanto tempo você passa na cozinha de casa? Para a arquiteta cearense Ana Virginia Furlani, essa resposta pode dizer muito também sobre o ato de preparar alimentos e de comê-los. "Se o espaço for convidativo, você fica nele por várias horas e faz comidas que vão muito além das ultraprocessadas ", acredita a autora do livro "Cozinha: Do fogo aberto ao século XXI", lançado esta semana na Casa Cor Ceará.
A obra, publicada pela editora Senac Ceará, nasceu como uma tese de conclusão de curso, escrita entre os anos 2005 e 2008, quando Furlani fazia uma pós-graduação na Universidade Politécnica da Catalunha. À época, o foco era apresentar uma história da gastronomia e da arquitetura das cozinhas euro-americanas, uma vez que os livros que tinha acesso eram todos dessa região.
Há dois anos, porém, quando retomou a leitura do trabalho, resolveu dar novo fôlego a ele, incluindo uma reflexão sobre as cozinhas do Brasil, desde o período da colonização.
A compreensão de que nossa cultura é formada pelo tripé branco, índio e negro é fundamental para que possamos entender a nossa cultura alimentar e, dentro dela, a arquitetura das cozinhas", escreve a arquiteta.
Dentro dessa perspectiva, a autora observou, por exemplo, que vivemos no único país onde existem duas circulações residenciais segregadas, uma social e outra de serviço, "fato que por si só já demonstra a maneira como a sociedade e, consequentemente, a arquitetura se comportam com relação ao serviço doméstico", analisa.

PUBLICAÇÃO

A atualidade de discussões como essa e o aumento das buscas por conteúdos relacionados à culinária estimularam Furlani a publicar o livro no Brasil. "Hoje a cozinha virou objeto de desejo. O que tem de programa de gastronomia na TV e de livros sobre o assunto, não é verdade? As pessoas estão investindo nesse espaço e cozinham porque querem, não porque são obrigadas, visto que têm a praticidade dos aplicativos e todo tipo de cozinha ao alcance do celular", acredita a autora.
Ela não esconde a satisfação de oferecer uma bibliografia histórica sobre esse assunto.
A cozinha já foi dos escravos, da empregada doméstica, da dona de casa, de ninguém - com a geração micro-ondas -, e voltou a ser o coração da casa. Minha alegria é ver que hoje ela tem o destaque que merece e quis transmitir isso com essa publicação", expressa.
Os interessados em adquirir a obra podem encontrá-la no Espaço Cozinha de Origem, da Casa Cor Ceará (Rua Visconde de Mauá, 950), também assinado por Ana Virginia Furlani. Aos sábados e domingos, sempre das 19h às 20h, o ambiente receberá oficinas gratuitas de gastronomia. "É o combo perfeito. Você passa lá, aprende a fazer um prato e ainda sai com o meu livro", convida a arquiteta. Vale ressaltar que o ingresso para a Casa Cor é R$50 (inteira) e o passaporte para todos os dias, R$150.
Image-1-Artigo-2585231-1Image-1-Artigo-2585231-1
COZINHA: DO FOGO ABERTO AO SÉCULO XXI
Ana Virginia Furlani
Editora Senac Ceará
2019, 216 páginas
R$ 62,30

Diário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …