Pular para o conteúdo principal

Um PGR pra chamar de seu


Algumas instituições, a exemplo do Ministério Público dos Estados e do Distrito Federal, têm seus dirigentes escolhidos pelos seus integrantes, dentre aqueles que figuram em uma lista tríplice, formada pelos três candidatos mais votados, em eleição direta.

Trocando em miúdos, o Procurador Geral de Justiça, chefe do Ministério Público Estadual, deve ser escolhido dentre aqueles que formam a lista tríplice.

O Procurador Geral da República, chefe do Ministério Público Federal, de forma bem diferente, é escolhido pelo Presidente da República, dentre os integrantes da carreira, maiores de 35 anos, após aprovação da maioria absoluta dos senadores.

Assim estabelece o art. 128 da Constituição Federal de 1988.

Por mais democrática que seja nossa CF, e por mais que tenha dotado o MP de uma feição necessária para zelar pelo regime democrático de direito, está claro que o legislador constituinte preferiu estabelecer algumas “amarras”, de modo a possibilitar certa “ingerência” por parte do Executivo, notadamente, quando da nomeação daquele que dirigirá a instituição.

No caso do MPF, é permitido ao Presidente nomear aquele que bem desejar, para ser o PGR.

Sabe-se que uma eleição legitima o candidato, daí porque, para minimizar os efeitos de possíveis ingerências do Executivo no MP, a partir de 2003, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) vem realizando eleições para a formação de lista triplica a ser encaminhada ao Presidente da República, a fim de que este escolha o PGR.
Essa prática de escolher o PGR dentre os que figuram na lista tríplice, vem sendo respeitada desde o governo Lula até o de Michel Temer. 

O atual Presidente, ao escolher para o cargo de PGR aquele que não figurava na lista tríplice, por votação dos membros do MPF, por certo, agiu dentro da lei.

Não há dúvidas quanto a isso.

Mas de que vale então uma votação se o mais votado não é eleito? Nem mesmo dentre aqueles que integram uma lista tríplice?

Quando os membros do MP votam para escolher dentre os seus pares aquele que chefiará a instituição, acreditam que sua vontade será respeitada e o mais votado será o escolhido.

A atitude do Presidente em escolher para chefe do MPF aquele que sequer figura entre os três mais votados, revela, a nosso ver, um desapreço pelo valor da própria democracia.

Na verdade, tal atitude reflete seu próprio interesse, de escolher alguém de sua conveniência, que possa corresponder aos seus anseios pessoais e que possa chamar de seu.

O MP não atua a serviço de governos ou de presidentes e governadores.

A esperança é que o futuro PGR não venha a esquecer disso, do seu verdadeiro papel constitucional.

Haja esperança.

Grecianny Carvalho Cordeiro
Promotora de Justica

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…