Pular para o conteúdo principal

Abuso de Autoridade: porta aberta

Finalmente, o Congresso Nacional fez realizar seu antigo desejo de fazer passar a lei de abuso de autoridade. A união faz a força, não resta a menor dúvida, e quando esta se faz necessária para uma autoproteção, o instinto de sobrevivência fala mais alto.
O Presidente da República vetou vários artigos dessa lei, mas o Congresso Nacional cuidou em derrubá-los prontamente. O mais interessante: nenhuma crise institucional foi aberta em razão dessa “desmoralização” do Executivo pelo Legislativo. O jogo estava orquestrado?
Os políticos precisavam se proteger dos arbitrários policiais, dos malditos perseguidores membros do Ministério Público, dos arrogantes magistrados.
Por algum momento pensou o cidadão que essa lei seria para a sua proteção?
Por algum instante, não achou estranho o cidadão que políticos de esquerda e de direita, se unissem para que essa lei passasse?
A polícia, o Ministério Público e o Judiciário continuarão exercendo suas funções e atribuições legais, porém, com uma grande diferença: ficou muito mais perigoso investigar casos de corrupção, crimes cometidos por detentores e mandatários de altos cargos públicos.
A partir de agora, investigar, processar e julgar um político corrupto ficou tão complicado, que tudo pode ser interpretado como abuso de autoridade, e não faltarão os advogados das bancas mais caras e ilustres do país a processar policiais, membros do Ministério Público e do Judiciário por crime de abuso de autoridade. O crime deixou de importar. O que importa é a forma de trabalhar dos operadores do sistema de justiça.
Mas se trabalhar direito, nada disso acontecerá! Pode alguém dizer.
Será que todo policial, membro do Ministério Público e magistrado trabalha errado porque investiga, denuncia e julga político acusado de corrupção?
Nenhuma descrição de foto disponível.
Porque essa dúvida não prevalece quando se trata de criminoso pobre, sem influência política alguma. Isso mesmo! Porque ninguém questiona o sistema de justiça quando se trata daquele que roubou o celular de última geração, o carro recém comprado, o estuprador... Para esses criminosos, o sentimento corrente emanado por muitos cidadãos é de que “bandido bom é bandido morto”, “quando mais tempo preso ficar, melhor”.
Porque prevalece em nossa cultura o entendimento de que o bandido pobre é mais pernicioso que o bandido rico.
Pois assim permaneceremos. Afinal, quem quer ser processado, condenado e preso porque investigou um político acusado de corrupção? Quem irá arriscar o próprio cargo?
Se você pensou que a Lei de Abuso de Autoridade vai servir apenas para resolver a incômoda e nefasta Lava Jato, lamento informar, essa lei será o passe livre para todos os que desejam e desejarão lesar o erário público.
A porteira está escancarada. É só entrar.
Grecianny Carvalho Cordeiro
Promotora de Justiça

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…