Pular para o conteúdo principal

Dia Internacional dos Idosos: sejam protagonistas na sociedade

Papa Francisco e idosa
No Dia Internacional dos Idosos recordamos os convites fervorosos do Papa Francisco para que os idosos e os jovens recebam toda a nossa atenção, porque são eles que alimentam a cultura da esperança e garantem a sobrevivência de um país, de uma pátria, da Igreja.
 
Cidade do Vaticano
“Quando os idosos são negligenciados perdemos – digamos isso sem sentir vergonha – a tradição, que não é um museu de coisas velhas, é a garantia do futuro, é o suco das raízes que faz a árvore crescer e dar flores e frutos”. As palavras do Papa Francisco na missa da Casa Santa Marta na segunda-feira (30/09) ressoam como uma advertência para o Dia Internacional das Pessoas Idosas, instituído pela ONU em 1990.

Um bilhão de pessoas com mais de sessenta anos

Hoje, há cerca de um bilhão de homens e mulheres com mais de 60 anos e as previsões indicam que até 2030 mais 400 milhões chegarão a esta idade, marcando um crescimento de quase 50% e superando o número de jovens e crianças com menos de 10 anos.
As pessoas com mais de 80 anos chegarão a triplicar nos próximos 30 anos, passando de 143 milhões de 2019 a 429 milhões em 2050. O maior aumento será nos países em desenvolvimento, onde atualmente vivem quase dois terços dos idosos do mundo. O maior crescimento será na Ásia, enquanto que a África terá um maior aumento percentual de idosos.

Oportunidades e desafios de uma sociedade que envelhece

“O envelhecimento da população – adverte a ONU – está destinado a se tornar uma das mais significativas transformações sociais do século XXI”. Por isso a importância de celebrar este Dia para sensibilizar a opinião pública sobre as oportunidades e os desafios de uma sociedade que envelhece em um ritmo cada vez maior, com a conscientização da contribuição que os idosos dão à sociedade e a sua valorização plena.

O carinho do Papa Francisco pelos idosos

O Papa Francisco mostrou inúmeras vezes com palavras e gestos concretos a sua solicitude para com as pessoas idosas – “eu também sou idoso” recordou -, solicitando a todos que não deixem de dar atenção aos que sofrem por doenças, exclusão ou solidão. “São as raízes e a memória de um povo”, os anciãos são um tesouro”, “são a sabedoria”, “um patrimônio das nossas comunidades” ou senão – disse o Papa – “quantas vezes se descartam os idosos com comportamentos de abandono que são uma verdadeira eutanásia encoberta”. “O idoso não é um alieno. Os idosos somos nós: daqui a algum tempo, não muito, inevitavelmente, mesmo se não pensamos nisso. E se não aprendermos a tratar bem os idosos, também nós seremos tratados assim”. “Gostaria – é um desejo manifestado pelo Papa Francisco – “que o Prêmio Nobel fosse dado aos idosos que dão memória à humanidade”.

Idosos na pobreza, esquecidos e discriminados

O protagonismo dos idosos é confirmado pela própria ONU que neste dia reitera o “significativo papel” desenvolvido na sociedade como “líderes” e “guardiões da tradição”, e ao mesmo tempo denunciando a vulnerabilidade: “muitos vivem na pobreza, com deficiências ou sofrem discriminações”. E se o melhoramento das condições médicas em escala global – faz notar a ONU – levou ao aumento do número de idosos, “também aumentaram as suas necessidades e sua contribuição ao mundo”.

Mesmas oportunidades para todas as idades da vida

O tema do Dia do Idoso 2019 é “Viagem rumo a igualdade de idade”, para que os idosos tenham condições de participar ativamente da vida social, econômica e política em todas as formas de desenvolvimento, reduzindo as desigualdades de velhice dentro dos países e entre os países. Tudo isso na convicção de que a todos, independente da idade, sexo, deficiência, etnia, religião e status econômico devem ser garantidas oportunidades iguais de inclusão social, indispensável para alcançar até 2030 os objetivos fixados pela ONU na Agenda para o Desenvolvimento Sustentável.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…