Pular para o conteúdo principal

Feira do Cordel Brasileiro traz atrações com programação gratuita

A quarta edição do evento acontece na Caixa Cultural Fortaleza entre os dias 17 e 20 de outubro


Respirar entre a tradição e a modernidade: essa é a proposta da IV Feira do Cordel Brasileiro, que acontece de quinta-feira (17) a domingo (20), na Caixa Cultural Fortaleza. Este ano, o evento é apadrinhado pelos mestres da cultura Chico Pedrosa e Bule-Bule, e homenageia Jackson do Pandeiro (centenário), João Melchíades Ferreira (sesquicentenário), Alberto Porfírio (in memoriam) e o comunicador Carneiro Portela.
Cada homenageado ganhará o nome de um palco/espaço, a ser ocupado com lançamentos literários, exposição de obras raras, vendas de folhetos, livros, camisetas e CDs, além de shows, recitais, palestras, oficinas de xilogravura e de cordel.
"É uma grande celebração da cultura popular, mais especialmente da literatura de cordel, esse gênero literário que consegue dialogar com todas as outras artes: cinema, teatro, televisão, histórias em quadrinhos, ilustração. E assim chega a todas as pessoas", resume o cordelista Klévisson Viana, idealizador da Feira. Essa diversidade de linguagens e expressões é perceptível em cada perfil convidado para a festa, incluindo mestres do cordel e da cantoria, xilogravuristas, atores e pesquisadores.
idealizadoridealizador
O cordelista cearense Klévisson Viana é o idealizador da Feira do Cordel Brasileiro
FOTO: ÉRIKA FONSECA

ATRAÇÕES

Um dos destaques da programação é o multiartista Antônio Nóbrega, que ministrará na sexta-feira (18), às 14h30, a aula-ilustrada "Da quadrinha ao galope à beira-mar". Nela, o pernambucano relata o modo como foram se constituindo os vários gêneros e modalidades da poesia improvisada popular brasileira, especialmente a nordestina.
multiartistamultiartista
O multiartista Antônio Nóbrega (PE) ministrará aula na IV Feira do Cordel Brasileiro
FOTO: DIVULGAÇÃO
Klévisson conta que o contato com o artista se deu em agosto, durante a XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará. "Ele me ligou dizendo que estava montando uma Cordelteca no Brincantes, o instituto dele em São Paulo. Aí eu disse que, para ele atualizar o acervo o lugar certo era aqui na Feira do Cordel Brasileiro. A gente pega o homem é na palavra, é assim que a cultura popular se relaciona", diz.
O mestre da cultura cearense Geraldo Amâncio, por sua vez, fará uma apresentação de repente, no sábado (19), às 18h, ao lado do parceiro Zé Vicente. Dentro da perspectiva de inovar a tradição, ele, aos 73 anos, revela um diferencial que traz no próprio show. "Antes o cantador nem olhava para o rosto das pessoas. Eu já sou de uma época que os cantadores interagem. Se o povo canta em show, culto, missa, porque não cantar em cantoria?", provoca.
mestresmestres
Os mestres Geraldo Amâncio (CE) e Bule-Bule (BA) integram a programação
FOTO: THIAGO GADELHA
Essa dinâmica, para Geraldo, acaba por atrair uma nova geração de cantadores, que inclusive estará presente na abertura da Feira. Às 18h da quinta (17), o público poderá comprovar isso no repente ao som da viola de Fabiane Ribeiro (MA) e Guilherme Nobre (CE), ambos com 18 anos. "É importante que a meninada veja que a cultura popular não é algo feito só pra idosos. É vigoroso, moderno, dinâmico, se atualiza, se adapta", pontua Klévisson Viana.

DISCUSSÕES

Ao longo dos dias, a Feira contará também com importantes reflexões, a exemplo da mesa "O cordel como objeto de pesquisa", com Gilmar de Carvalho; do recital "As mulheres no cordel", com Julie Oliveira (CE), Bia Lopes (CE) e Ivonete Morais (CE); e da palestra "A diversidade na ilustração de folhetos de cordel", com Jô Oliveira, entre outros convidados.
Vale destacar ainda na programação, a presença do neto de Patativa do Assaré, Daniel Gonçalves, com o recital "O Patativa que eu conheci", e o show "Cantigas para bem viver'', com a médica e cordelista Paola Torres, idealizadora da Cordelteca da Universidade de Fortaleza. Ambos acontecem no sábado, às 19h e 20h, respectivamente.

PRIMEIRO DIA

Quinta-feira (17)
Teatro: Jackson do Pandeiro

14h - Abertura:
Participação dos mestres do cordel e da cantoria. Declamação com Klévisson Viana (CE) e Aldanísio Paiva (CE); apresentação com Mestre Bule-Bule (BA), Jefferson Portela (RJ) e Zé Rodrigues (CE), César Barreto (CE) e do Grupo Cordel de Raiz, da EMEF Ernesto Gurgel Valente (Aquiraz/CE)

15h10 - Mesa "O cordel como objeto de pesquisa" Com Gilmar de Carvalho (CE); "Cordel Cearense", Vládia Lima (CE); "Alberto Porfírio", Ana Claudia Veras (CE); "Caldeirão" e Alberto Perdigão (CE)- "Jornalismo em Cordel" Mediação do professor e cordelista Stélio Torquato Lima (CE)
Sala de Ensaio: José Pacheco 15h
Oficina de xilogravura com o mestre Francorli (CE) e Lucélia Borges (BA) Café: Luiz Gonzaga

15h40 - Lançamento de folhetos da Cordelaria Flor da Serra (CE)
Sala Multiuso: Palco Alberto Porfírio 16h40
Recital "As mulheres no cordel" com Julie Oliveira (CE), Bia Lopes (CE) e Ivonete Morais (CE)

17h30 - Recital com Dideus Sales (CE)
18h - Repente ao som da viola com Fabiane Ribeiro (MA) e Guilherme Nobre (CE)
19h - Show "Cantigas do Sertão" com José Rodrigues (PE) e o Trio Cabeça de Fósforo (CE), participação especial do mestre Bule-Bule (BA)
19h40 - Recital "Não nego minha raiz" com o "Pequeno Poeta" Regenildo Paiva(CE)
20h - Show "De cantigas e romances" com Eugênio Leandro (CE), participação especial de David Simplício (CE)

SERVIÇO

IV Feira do Cordel Brasileiro
De 17 a 20 de outubro, na Caixa Cultural Fortaleza (Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema).
Todos os dias a partir das 14h.
Gratuito
Contato: (85) 3453-2770


Diário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …