Pular para o conteúdo principal

Oitavo volume da revista Scriptorium, dedicada à bibliofilia, é lançado nesta terça-feira (1)

Publicação reúne textos de Ana Miranda, Tales de Sá Cavalcante, entre outros nomes de relevo da literatura cearense


A bibliofilia é, antes de tudo, um ato de apego e respeito ao conhecimento. Atividade milenar - consta que Alexandre, O Grande, é considerado o criador da primeira e maior biblioteca da humanidade - possui verbete no dicionário Aurélio Buarque de Holanda cujo significado dimensiona a proposta que o ofício abraça.
"Amor aos livros, especialmente os belos e raros. Entende-se a arte de colecionar livros tendo em vista circunstâncias especiais ligadas à publicação deles", demarca. Há mais, porém, muito mais a se considerar nesse processo. Refletir sobre as questões que atravessam obras e, sobretudo, fatores ligados a elas, também é imperativo para perpetuar seu legado e ressonância.
Esse, pelo menos, é o principal fundamento da Scriptorium, revista da Associação Brasileira de Bibliófilos. Fundada há aproximadamente 10 anos, é uma publicação que elege as distintas perspectivas sobre a bibliofilia como maneira de fazer com que a temática continue sempre urgente, pautando o hoje em diversas frentes.
"Trata-se de não apenas valorizar o livro como objeto, mas a escrita e a leitura, ultrapassando, assim, a forma fetichizada que muitas vezes as obras são encaradas por parte de leitores e leitoras".
A afirmação é de Lúcio Alcântara, bibliófilo e editor da revista, uma das poucas no País a falar exclusivamente de temas inerentes aos livros.
O oitavo volume da publicação, com periodicidade anual, será lançado nesta terça-feira (1), às 18h30, no prédio BS Design. O material tem distribuição gratuita e apenas 300 exemplares estarão disponíveis para aquisição.

COMEMORAÇÃO

Além do lançamento, o dia será de festejar as três décadas de atuação da Expressão Gráfica e Editora. A casa nasceu de um projeto idealizado por Francisco Eulálio Santiago Costa, e segue como uma das principais empresas de fomento ao livro cearense, à frente da publicação de obras assinadas por grandes nomes das nossas letras, seja na ficção, seja na pesquisa documental.
É a Expressão, inclusive, que traz ao público o novo volume da Scriptorium, feito comemorado por Lúcio. "No volume anterior, havia um texto de Olavo Bilac sobre a fatalidade do número 7 para as revistas editadas aqui no Brasil. Geralmente, elas não seguiam após essa marca. Com a recente edição, conseguimos ultrapassar esse desafio. E pretendemos, mesmo com toda a dificuldade referente a custos, persistir no objetivo de ter uma publicação dedicada à bibliofilia", situa.
img2img2
Questões ligadas à bibliofilia ultrapassam o fetiche ao livro
Foto: Nah Jereissati
O desejo é justificado: neste oitavo volume, a produção atesta a relevância no contexto em que está inserida. Personalidades do porte de Ana Miranda, Tales de Sá Cavalcante, Ingrid Schawamborn e Gizela Nunes da Costa escrevem textos em que se sobressai a paixão pelo estar entre letras. Ao mesmo tempo, elencam subjetividades que dialogam frontalmente coma audiência.

AMPLITUDES

A escritora e colunista do Verso, Ana Miranda, em "O Direito à Ficção", primeiro texto do volume, defende, por meio de detalhes da rotina, que "assim como não teremos equilíbrio emocional se não sonharmos, não teremos equilíbrio social sem a literatura, ou a ficção".
Mais adiante, Ésio Macedo Ribeiro escreve sobre a experiência desafiadora de um colecionador para obter uma obra desejada com afinco, em "A Conquista de A Cinza das Horas", de Manuel Bandeira.
Na sequência, em criativo ensaio, o cientista político e escritor Paulo Elpídio de Menezes Neto dialoga com um livreiro a fim de apresentar a arte da bibliofilia aos iniciados no ramo. Um farto cardápio, assim, de referências e panoramas.
"É também sobre o impacto da evolução dos meios eletrônicos na leitura e no livro, algo que está revolucionando o setor em muitos aspectos, inclusive na escrita. Toda reflexão que fomentar o debate é de nosso interesse, o que, para mim, explica a longevidade da revista", conclui Lúcio Alcântara.
Serviço
Lançamento do oitavo volume da Revista Scriptorium
Nesta terça-feira (1), às 18h30, no BS Design - Auditório Walter Nogueira, Mezanino (Av. Desembargador Moreira, 1.300, Torre Norte). Contato: (85) 3052.3511.

Image-1-Artigo-2589045-1Image-1-Artigo-2589045-1
Revista Scriptorium
Associação Brasileira de Bibliófilos
Expressão Gráfica e Editora
2019, 112 páginas
Distribuição gratuita


Diário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …