Pular para o conteúdo principal

As multivozes entram em cena novamente agora em na Festa Literária de Santarém

A Festa Literária de Santarém, que integra a programação da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, abriu oficialmente no sábado (9).
A Festa Literária de Santarém, que integra a programação da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, abriu oficialmente neste sábado (09/11) movimentando a cidade desde o primeiro dia.
“Vi em sonhos encantados, teus eternos namorados: Amazonas, Tapajós, paralelos no caminho, disputando o teu carinho, numa luta tão feroz”. É assim que o maestro santareno, Wilson Fonseca, cantou em vida seus amores pela Pérola do Tapajós que a partir deste sábado (09/11) é anfitriã da Festa Literária: evento que integra a 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, realizada pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Cultura do Estado (Secult).
E as multivozes entram em cena novamente na programação que reúne os estandes de livros, palestras, os papos-cabeça e muitas atrações musicais, e audiovisuais, escritores locais além da Arena Multivozes, valorizando, principalmente, a produção local. A coordenadora da Festa Literária, Maria do Céu Braga, faz um balanço sobre o primeiro dia da Festa: “Nós tivemos um grande público visitante já no primeiro dia, que ultrapassou até mesmo as expectativas. Desde à tarde, os expositores estão todos com seus estandes cheios e o Cred Livro já bastante consumido em poucas horas”, afirmou a coordenadora.
Além de Belém, a 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro já passou por outras cidades como Marabá e Parauapebas e ainda será realizada em dezembro em Bragança. Agora, chega a Santarém como parte da política de descentralização e de acesso ao Pará profundo. O Secretário-Adjunto de Estado de Cultura, Bruno Chagas, que representou o Governo do Pará na Solenidade de Abertura, entende que esta descentralização faz parte da missão de valorização regional:
“Chegamos agora a Santarém para fazer essa Festa Literária que não é voltada apenas à leitura, mas principalmente para a formação de opinião, porque nosso estado é muito grande e muito plural. E estar presente aqui em Santarém faz parte desse conceito, faz parte desse conceito de valorização da nossa região, do nosso povo”, conclui o secretário.
Solenidade de abertura - A Solenidade de abertura contou com a presença do Secretário-Adjunto de Estado de Cultura, Bruno Chagas, do Prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, do Secretario de Cultura do município, Luiz Alberto Figueira (Pixica), Secretária Municipal de Educação, Mara Belo, do Secretário do Centro Regional de Governo do Baixo Amazonas, Henderson Pinto e do Vereador, Alaercio Cardoso. A execução dos hinos do Brasil, Pará e de Santarém, bem como toda a solenidade, foram acompanhadas por intérpretes em libras.
Público - O primeiro dia da Festa Literária foi marcado pela movimentação das multivozes santarenas. A aposentada, Tânia Maria Souza, veio acompanhada do marido e das filhas e conta com entusiasmo a vinda à Festa Literária santarena: “Estou achando ótima, maravilhosa, muito bonita a Festa, bem diversificada. Tô de olho em tudo!”. Já a estudante de antropologia da Universidade Federal do Oeste do Pará, Amanda Poça, garantiu sua leitura sobre botânica amazônica logo que chegou e conta que vem nos próximos dias:
“Essa programação tem umas mesas bem interessantes sobre temas importantes para a literatura, movimentos sociais, que eu curto bastante e pretendo vir.”
Amanda, que é natural de Belém e veio pela primeira vez na Festa Literária de Santarém, também chama atenção para a necessidade do acesso à leitura: “Livro é algo que tem que ser democratizado, para a gente consumir mais, se não, não faz sentido.” Amanda conclui.
Música - O show da cantora, compositora e instrumentista franco-brasileira, Lia Sophia, colocou todo o público para cantar e dançar grandes sucessos da intérprete dos ritmos que embalam Santarém, assim como todo o Pará. A artista, conta que é encantada pela produção artística da cidade e revela estar muito feliz por ser a atração musical de abertura da Festa Literária:
“É uma honra para mim estar nessa terra tão abençoada e com esse público! Que público lindo! Quente, dançando tudo comigo, estou muito feliz de estar em um evento como este. Eu vi tantas famílias, tantas crianças hoje, aqui comprando livros, sabe? Isso é de uma riqueza maravilhosa oferecer um evento cultural desta magnitude˜, conclui Lia.
Serviço: A realização da Festa Literária de Santarém é da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), e conta com parceria entre a Prefeitura Municipal de Santarém, Imprensa Oficial do Estado e Universidade Federal do Oeste do Pará. A programação começou oficialmente neste sábado (09/11) e vai até o outro domingo (17/11), no Espaço Pérola do Tapajós. A entrada é gratuita.
Fonte: Agência Pará

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …