Pular para o conteúdo principal

Encontro na Academia Cearense de Letras reúne escritores para diálogo sobre o gênero romance

Angela Gutiérrez e Pádua Lopes contam experiências e comentam desde elementos narrativos do gênero a ressonâncias do mesmo no mercado editorial


Presidente da ACL, Angela Gutiérrez é autora de três romancesFoto: Helene Santos
Data do século XVII a arte de escrever romances. De lá para cá, o gênero literário passou por diversas modificações, mas a gênese permanece: tem a hibridez como marca registrada.
Não à toa, novelas, cartas, narrativas de viagem e outros formatos entram em comunhão para contar histórias cujo fôlego emenda outras histórias, tantas perspectivas.
"O romance é a transmissão escrita e ficcional de experiências da vida real", observa o escritor Pádua Lopes. "Se essas experiências mudam ou evoluem, o gênero é obrigado a reinventar-se para atender aos novos anseios humanos".
A visão do autor antecipa o teor da conversa que acontecerá nesta terça-feira (12), às 16h30, no Palácio da Luz, sede da Academia Cearense de Letras (ACL).
Na ocasião, Pádua se une a Angela Gutiérrez, presidente da casa, para discutir sobre a amplitude da temática. O evento integra o programa "Diálogos na Academia", iniciado neste semestre na instituição, com o objetivo de oportunizar maior conhecimento tanto dos gêneros literários quanto das obras dos membros da Academia.
"Desejamos colaborar com intensa aproximação dos escritores com o público leitor e, também, em outro projeto específico, com os diferentes elos dessa cadeia", explica Angela, referindo-se à ação da ACL.
No mais recente encontro, essa característica agregadora voltará a ganhar força, assim como aconteceu nas edições anteriores, dedicadas à poesia e ao conto.
A proposta é que a conversa, mediada por Lourdinha Leite Barbosa, gire em torno da gênese dos romances escritos pelos dois escritores participantes, mirando ainda em elementos narrativos (tais como personagens, tempo, espaço, estrutura, trama, entre outros), em como eles sentem as reações do público-leitor, além das dificuldades com publicação, divulgação e distribuição.
Autora de três romances - entre eles seu livro de estreia, "O Mundo de Flora" - a presidente da Academia adianta que a atividade deve continuar no próximo ano, englobando outros gêneros, tais como crônica, dramaturgia, cordel e ensaio.
"Para o biênio 2019-2020, a Academia escolheu priorizar a literatura cearense. O Palácio da Luz, sede da casa, estará de portas abertas para acolhê-la".
Serviço
Encontro "Romance - Leitura e Depoimento dos Autores
Nesta terça-feira (12), às 16h30, no Palácio da Luz (Rua do Rosário, 1, Largo dos Leões, na Praça General Tibúrcio, Centro). Entrada franca. Contato: (85) 3266-0326


Diário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…