Pular para o conteúdo principal

Livro sobre felicidade perdida vence o Goncourt

O escritor francês Jean-Paul Dubois é o vencedor da edição 2019 do prêmio de maior prestígio da literatura da França


O escritor francês Jean-Paul Dubois é o vencedor da edição 2019 do prêmio Goncourt, o de maior prestígio da literatura francófona, por um romance sobre a felicidade perdida em um mundo em declínio.
“É adorável”, celebrou o escritor, de 69 anos, após o anúncio do prêmio para “Tous les hommes n’habitent pas le monde de la même façon” (Nem todos os homens vivem da mesma maneira no mundo).
“Se as obras de Dubois fosse traduzidas para o inglês, ele teria na França um status comparável ao de John Irving ou William Boyd”, disse Bernard Pivot, presidente da Academia Goncourt.
O 22º romance de Dubois narra a história de Paul Hansen, que está há dois anos em uma prisão de Quebec. Em primeira pessoa, Hansen explica como dividiu a cela com um integrante do grupo Hells Angel, um personagem assustador e comovente ao mesmo tempo, que sonha em “dividir em dois” aqueles que o contradizem, mas que tem medo de ratos e tesouras de cabeleireiro.
O leitor fica sabendo no final do livro por quê Hansen, um homem bom, está na prisão. No decorrer do romance aparecem as lembranças de uma felicidade arruinada, em um mundo que desaparece, dando espaço para outro dominado pela injustiça e o desprezo.
Ao longo de uma carreira de três décadas, Dubois, um escritor discreto e popular na França, construiu um universo delicado e profundamente humano.
Também nesta segunda-feira foi anunciado o prêmio Renaudot, vencido por Sylvain Tesson por “La panthère des neiges”, a partir de sua experiência no extremo do Tibete para observar o leopardo das neves.
Fonte: Exame

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …