Pular para o conteúdo principal

Vem a Paz

Destaque das atividades do Papa e da Santa Sé nesta quinta-feira. Um emocionante encontro no final da manhã com alguns refugiados de Lesbos. Em precedência, Francisco celebrou a Missa em Santa Marta e recebeu 6 novos embaixadores.
Sergio Centofanti, Silvonei José - Cidade do Vaticano
O Natal se aproxima. Mas é sempre difícil, ainda hoje, para todos nós, reconhecer o Deus que se faz homem. Francisco quis encontrar alguns refugiados que chegaram de Lesbos, Grécia, com os corredores humanitários. Ele recebeu de presente um colete salva-vidas que pertencia a um imigrante desconhecido que se afogou no Mar Mediterrâneo. O colete, colocado sobre uma cruz de resina, está agora pendurado no acesso ao Palácio Apostólico do Pátio Belvedere. A morte deste migrante, disse o Papa, foi causada pela injustiça: "É uma injustiça que obriga muitos migrantes a deixar suas terras". É a injustiça que os força a atravessar desertos e a sofrer abusos e torturas nos campos de detenção. É a injustiça que os rejeita e os faz morrer no mar". Não se pode ficar indiferente: "Como podemos 'passar por cima disso', como o sacerdote e o levita da parábola do Bom Samaritano, fazendo-nos assim responsáveis pela sua morte. A nossa inércia é um pecado!" São João Crisóstomo dizia que nada é mais triste do que um cristão frio, que não está interessado na salvação dos outros. "Devemos socorrer e salvar - disse o Papa -, porque todos somos responsáveis pela vida do próximo, e o Senhor nos pedirá contas disso no momento do julgamento". Também nós precisamos de ser salvos.
É o exame final. Nós temos uma vantagem porque já conhecemos os assuntos. O objetivo da nossa fé é a salvação das almas. Mas isto tem muito a ver com a salvação das pessoas na vida concreta de todos os dias: é a atenção aos outros nos infinitos modos que o mandamento do amor nos propõe. É o amor que salva. E o amor é Deus: "Deus caritas est". "O único que salva é o Senhor" - lembrou Francisco na missa desta manhã na Casa Santa Marta comentando as leituras de hoje - e esta salvação é gratuita porque nenhum de nós pode se salvar sozinho, ninguém pode se orgulhar de ser justo. Podemos somente confiar-nos "à gratuidade da salvação do Senhor". Só assim o nosso deserto, a esterilidade do nosso egoísmo, florescerá: florescerá nas obras da fé, o amor que dá vida. Esta é a verdadeira paz.
"Os cristãos de todo o mundo se preparam para celebrar o nascimento d’Aquele a quem nos dirigimos como Príncipe da Paz". Francisco dirige-se a 6 novos embaixadores acreditados junto da Santa Sé. Eles vêm das Seicheles, Mali, Andorra, Quênia, Letônia e Níger. Países diferentes, alguns com maioria cristã, outros com maioria muçulmana, mas todos aspiram à paz. É um desejo profundo, inscrito no DNA do ser humano, que, mesmo que não o conheça, espera não tanto a paz como algo, mas a paz como Alguém. Vem a Paz. O Papa fala disso mais com esperança cristã do que com otimismo humano, porque do nosso ponto de vista vemos "um mundo tristemente marcado por conflitos civis, regionais e internacionais, divisões sociais e desigualdades". As divisões infiltram-se e atingem a própria comunidade cristã, às vezes até em nome da fé, ainda que sejamos irmãos e devemos defender-nos e não nos acusar. O Papa, que não tem medo de falar o nome do verdadeiro inimigo, o diabo, mais uma vez pediu a Deus, durante a audiência geral de ontem, que protegesse a todos do maligno. Contra o mal, Francisco traça um caminho feito de palavras simples: honestidade, verdade, solidariedade fraterna, respeito mútuo, dignidade. Aqui está a esperança: vem a paz, mas não é tanto uma situação, é Alguém.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…