Pular para o conteúdo principal

Apaixonado por literatura, Rene lança livro aos 91 anos

Obra “Histórias Vividas e Contadas” será lançada no dia 20 de janeiro


Rene Sebastião Rosa fez uma faculdade de direito aos 53 anos, uma especialização aos 81 e agora lança um livro de memórias e histórias sobre as vivências em Mato Grosso do Sul, aos 91 anos - Foto: Arquivo Pessoal
Seu Rene é um contador de histórias nato. Aos 91 anos é um velho amante da literatura, o aposentado tem um acervo de lembranças e memórias que desperta facilmente a curiosidade do interlocutor. Conta com simpatia sobre como fez uma auto-hipnose aos 20 e poucos anos e declama um poema sem gaguejar apesar da idade avançada. No meio de tudo isso, uma pequena perda auditiva, que o faz escutar com dificuldade, mas em nada impede de lançar o seu primeiro livro.
A obra “Histórias Vividas e Contadas” surgiu de uma provocação. “Na verdade, eu fui no meu urologista fazer alguns exames e durante a conversa eu fui contando algumas histórias sobre a minha vida e o do nosso Estado. O médico me disse, Rene você conta uma monte de histórias que eu nunca ouvi, nem nos livros, porque você não escreve um?”, explica Rene Sebastião Rosa. 
Depois de muito refletir, a sugestão foi aceita com carinho e se tornou uma motivação. Rene buscou na memória o que mais faria sentido e começou a escrever. Com energia, é capaz de contar todas as que incluiu na publicação, mas uma em especial ele considera importante. “Eu fui fumante, dos 12 anos aos 25 anos, e um dia li um livro sobre hipnotismo. Em determinado capítulo, o livro informava sobre a autosugestão, autohipnose. Resolvi tentar. No livro a instrução era falar para si mesmo ‘eu vou deixar de fumar, porque eu quero e porque eu posso’. Fiz uma semana e depois comecei a perceber que a cartela de cigarros estava inteira”, relembra Rene. 
Com tanta disposição, Rene não parece se importar com convenções sociais sobre a hora de parar. Fez faculdade de Direito, aos 53 anos e, especialização em Sistema tributário do IPTU, com 81. Os livros permanecem como companheiros inseparáveis. Ele os devora com vitalidade, cinco ou seis por mês. “Quem pensa em perder, perdido está”, diz, enquanto declama uma poesia.
AMOR
Seu Rene tem dois grandes amores na vida. O primeiro, com certeza, é dona Herondina Felix Rosa, 80 anos, esposa com quem teve três filhas, três netos, viajou e foi parar na Espanha e até em Israel. O segundo é a literatura. 
Há mais de cinco anos, quando Herondina foi diagnosticada com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), os dois precisaram descobrir, todos os dias, como vencer as limitações que a doença traz. A saída para Rene foi unir seus dois amores, declamar uma poesia diariamente para sua “deusa dos lábios de mel, mais doce que os favos de Jati”, como ele mesmo diz. 
No dia do lançamento do livro, a deusa estará presente. “Vira e mexe a gente chega em casa, ele tá de mãozinha dada com ela, lendo poesia. Ele cuida, ele zela e ele nos ensinou sobre estar junto, da importância do companheirismo com o outro”, afirma uma das filhas do casal, Mariete Rosa. 
Serviço: O lançamento ocorre na segunda-feira (20), às 19 horas, com entrada franca, o livro será comercializado no valor de R$ 20. O Marco fica na rua Antônio Maria Coelho, nº 6.000, no Parque das Nações Indígenas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: 3326-7449.
Fonte: Correio do Estado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…