Pular para o conteúdo principal

Um texto brilhante e 'você'

Em 'Você e suas circunstâncias', o leitor se torna o personagem principal das histórias


Quando Artur se entregava a uma criação, pensava, pensava e pensava diante da máquina de escrever
Quando Artur se entregava a uma criação, pensava, pensava e pensava diante da máquina de escrever (Rafaela Biazi/ Unsplash)
Afonso Barroso*
Com a morte meio que prematura de um amigão chamado Artur Eduardo, esgotou-se na propaganda (e nas letras) uma fonte de textos primorosos. Artur não era só um excepcional redator de publicidade, brilhante na criação de anúncios e comerciais de tevê. Era também um contista e cronista comparável aos melhores do gênero no País.
Está bem aqui, na minha frente, o livro de crônicas ao qual ele deu o título de Você e suas circunstâncias. São textos na maioria breves em que ele faz do leitor o personagem principal. Tanto que todos têm Você no título.
Começa com Você e seu ectoplasma. Engraçadíssimo. Imagine seu ectoplasma se desprendendo e deixando que seu corpo aja à deriva, sem o freio do raciocínio e o acelerador da sensatez. É o que acontece com um ex-futuro pequeno empresário (Você, naturalmente) no balcão de uma repartição pública, em busca de alvará para abertura da sua firmazinha.
Tem a historinha em que você e dois amigos estão passando um fim de semana no sítio do tio de um deles. Relaxados, fumam baseados na varanda. De repente veem um disco voador descer e pousar num descampado, a menos de um quilômetro. Fica um momento e depois alça voo e desaparece no céu. Você e seus amigos se entreolham um tanto assustados e decidem não contar pra ninguém, uma vez passados os efeitos da canabis. Como têm fama de malucos, “melhor não acrescentar disco voador no currículo”.
Termina, 143 páginas depois, com Você e sua namorada prosaica. É quando você , um intelectual superdotado em matéria de conhecimentos literários e científicos, bate papo com sua namoradinha bonita, deslumbrada e ignorante. Conquista-a. Pena que ela seja tão prosaica.
Ao longo das historinhas hilariantes, todas contadas num estilo tão despojado quanto criativo, você se sente preso inexoravelmente, sem vontade de terminar a leitura. De repente, topa com Você e a Sena acumulada ou Você e o coelho atrasado ou Você e o flagrante sexual e mais uma centena e meia de vocês que o farão rir a bandeiras despregadas, como diziam os antigos senhores que vieram séculos antes de você .
Quem conviveu com o Artur não imaginava que pudesse ser um sujeito tão engraçado como revelam seus contos e crônicas. Não sabia contar piadas, e nem se arriscava a contar. Mas ria com vontade quando ouvia alguma inteligente. Era do tipo ensimesmado, de pouca conversa e muita agilidade mental. Quando se entregava a uma criação, pensava, pensava e pensava diante da máquina de escrever. Se parava de pensar, era hora de botar no papel um texto enxuto, inteligente e altamente criativo. Quando saíamos pra tomar umas e outras, ele avisava: Vocês falam, eu bebo. Porque o que sabia mesmo era escrever. E como! Era magro, quase franzino, mas bebia que era uma fartura. Lamento por você se não o conheceu.
Deixou saudade o Artur. E além da saudade, deixou Você e suas circunstâncias, o livrinho de crônicas e minicontos que releio todo santo dia em memória dele.
*Afonso Barroso é jornalista, redator publicitário e editor

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…