Anúncios Parceiro Magalu - Erigleissonevoce

Luz das nações

Foto: Padre Geovane Saraiva (1/2/2020)
Tele da Igreja de Santo Afonso
Padre Geovane Saraiva*
Deus onipotente, o Senhor virá iluminar, explicitamente, a oferta de sua Santa Mãe, Maria, na profecia do velho Simeão. Quando Maria e José entraram no templo de Jerusalém com o Menino Jesus, aprendemos, pelo ensinamento da Igreja, que a profecia foi realizada, como no dizer do profeta Malaquias, Anjo da Aliança, dominador e soberano (cf. Ml 3, 1s). Pensemos, pois, naquele que se fez em tudo semelhante aos homens, para se tornar sacerdote misericordioso e digno de confiança. Convenhamos: Ele é o Cristo Senhor, que exerce com plenitude o poder, no perdão dos pecados e na reconciliação de todas as coisas consigo.

Foto: Padre Geovane Saraiva,
vista da estrada na Serra de Baturité,
 de Aratuba a Mulungu CE
Como é maravilhoso, ao mesmo tempo impactante, compreendermos, na entrega de Maria, o mesmo Espírito de Deus que dá vida aos cristãos, animando-a, compondo-a no mundo atual por meio das diversas iniciativas da Igreja! Saibamos antever a aurora, ou amanhecer, naquele que chega para iluminar nossos olhos. Como seguidores pneumáticos, conquistemos um reino de paz, num retrato bem claro e detalhado da realidade panorâmica do mundo atual. Essa realidade nos desafia, sobremaneira, nos novos modos de pensar a fé, com tanta diversidade nesta fase da história, mas num pluralismo teológico, querendo, demasiadamente, uma luta e anseios constantes, a partir de Jesus de Nazaré, luz das nações.

Embora a criatura humana se revele com suas próprias forças, necessitada e impedida da supracitada liberdade salvífica, no maravilhoso dom da fé, mas num modo de viver, é identificada e configurada com aquilo que quer significar o seguidor de Jesus de Nazaré: ser cristão carregando a chama da esperança que alimentou Simeão. Deus quer favorecer-nos com uma fé lúcida, livrando-nos das crenças atrabelhadas, ressurgindo com toda clareza no processo atual, pelo qual a humanidade passa, numa dimensão espiritual e comunitária, com os cristãos de vanguarda perseguindo a paz e a justiça verdadeira, maior dádiva dos filhos de Deus.

Jesus, sem deixar de ser Deus, quis ser verdadeiro homem e morar entre os homens, inserindo-se na sua história, a fim de participar de sua vida em tudo, inclusive no cumprimento da lei, concretamente, por ocasião do encontro com seu povo no templo. Quão afável, ó personagem bíblico Simeão, que ansiosamente esperava a consolação de Israel, ajude-nos, esperançosos, a não só compreender, mas consolidar o futuro do mundo, o futuro da nossa fé! Assim seja!

*Pároco de Santo Afonso, Blogueiro, Escritor e integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza (AMLEF).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livro resgata conteúdo de cartas recebidas por João Goulart

Livro sobre as origens do povo cearense chega ao mercado

União familiar