Anúncios Parceiro Magalu - Erigleissonevoce

62% aprovam Flávio Dino em São Luiz, Bolsonaro é rejeitado por 63%


Uma pesquisa do Instituto Escutec, em parceria com o jornal O Estado do Maranhão, aponta que 75% dos entrevistados aprovam o isolamento social em São Luiz (MA).

PUBLICIDADE

Já o desempenho do governador Flávio Dino (PCdoB) no combate ao coronavírus é aprovado por 62% dos ludovicenses. 35% desaprovam a atuação do governante e 3% não sabem ou não responderam.

Quanto ao desempenho do presidente Jair Bolsonaro, 28% aprovam, 63% desaprovam e 9% não responderam.

Sobre o isolamento social, 75% da população quer que o comércio de produtos não essenciais continue fechado. 23% defendem a reabertura e 2% não sabe ou não respondeu.

LEIA TAMBÉM
José Nêumanne Pinto esculhamba Bolsonaro em vídeo; assista

Tarso Genro diz que novo ministro da Saúde “não é ‘técnico’ e não conhece o SUS”


Panelaços em todo o país contra a demissão de Mandetta

Pesquisa do instituto Datafolha publicada na sexta-feira (17) pela Folha de S.Paulo mostra que a maioria da população reprovou a demissão do ministro da Saúde, Henrique Mandetta (DEM).

Segundo os números, ao demitir Mandeta, Bolsonaro:

Agiu mal: 64%
Agiu bem: 25%
Não sabe: 11%
Ou seja, praticamente dois terços dos ouvidos reprovaram a troca de ministro.

A demissão de Luiz Henrique Mandetta do Ministério da Saúde provocou panelaços em todo o país na quinta-feira (16).

Mandetta estava em confronto direto com o presidente por defender o isolamento social como forma de combater a propagação do coronavírus. Bolsonaro defende o fim do isolamento social e a retomadas das atividades comerciais.

Bolsonaro deu um tiro no pé e aumentou seu isolamento ao demitir Mandetta. Só um desempenho excepcional do novo ministro pode reverter esse isolamento.

Com informações do Estado do Maranhão e Datafolha.  https://www.esmaelmorais.com.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Morre o acadêmico Murilo Melo Filho

Mensagem do Pe. Geovane: Como ajudar e fazer doações à paróquia na crise da pandemia.

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira