Anúncios Parceiro Magalu - Erigleissonevoce

Conheça o gênero livro-reportagem e algumas sugestões para iniciar a leitura

O livro-reportagem é um gênero literário e jornalístico em que o autor narra uma reportagem de maneira aprofundada

O gênero de livro-reportagem vem do jornalismo literário, uma especialização do jornalismo. Não necessariamente o leitor precisa ser jornalista para se interessar pelo tipo de leitura. A maioria dos livros deste tipo servem como ferramenta de denúncia ou relatam acontecimentos polêmicos. Confira sugestões de livros-reportagem para ler.

Todo dia a mesma noite

Reportagem sobre a tragédia na cidade de Santa Maria, em 2013, o livro relembra e homenageia os 242 mortos no incêndio da Boate Kiss. Daniela Arbex explica que foram necessárias centenas de horas de depoimentos de sobreviventes, familiares das vítimas, equipes de resgate e profissionais da área da saúde para sentir e entender a verdadeira dimensão de uma tragédia sobre a qual já se pensava saber quase tudo.
Ficha técnica
Autora: Daniela Arbex
Ano: 2018
Número de páginas: 217
Editora: Intrínseca

Hiroshima

Hiroshima é o título de um artigo escrito pelo ganhador do Prêmio Pulitzer na categoria de Ficção (o prêmio mais importante do jornalismo) John Hersey, que foi publicado na edição de 31 de agosto de 1946 da The New Yorker. Posteriormente o artigo foi convertido para uma edição em livro. O livro descreve como os bombardeios atômicos de Hiroshima e Nagasaki afetaram a vida de seis indivíduos. Hersey esteve no Japão de 25 de maio a 12 de junho e levou cerca de seis semanas para escrever a matéria, com 150 páginas originalmente.
Ficha técnica
Autor: John Hersey
Ano: 2002
Número de páginas: 172
Editora: Companhia das Letras

Rota 66

É um livro do jornalista brasileiro Caco Barcellos editado pela primeira vez em 1992. A obra ganhou o Prêmio Jabuti na categoria Reportagem em 1993. O livro trata da morte de um grupo de jovens de classe média de São Paulo por uma ação de uma unidade das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), uma unidade especializada da Polícia Militar do Estado de São Paulo. A partir deste ponto, o fato se torna o elo entre tantos outros assassinatos sem explicação realizados pela polícia.
Ficha técnica
Autor: Caco Barcellos
Ano: 1992
Número de páginas: 364
Editora: Record

A Sangue Frio

Escrito por Truman Capote e publicado em 1966. O livro relata o brutal assassinato de uma família na cidade de Holcomb, localizada no interior do estado do Kansas, nos Estados Unidos, da ideia inicial do crime até a execução dos assassinos. O jornalista entrevistou familiares das vítimas e do assassinos, recolheu documentos oficiais, leu cartas e diários, observou, assistiu ao enforcamento dos criminosos. Com as informações coletadas, o autor escreveu um "romance não-ficcional", considerado a primeira obra do New Journalism.
Ficha técnica
Autor: Truman Capote
Ano: 1965
Número de páginas: 355
Editora: Random House

O voyeur

Recebendo uma carta anônima, assim começa a espantosa história que Gay Talese, um dos maiores nomes do jornalismo literário, narra em O voyeur. O homem que enviou a carta é Gerald Foos, que construiu uma plataforma de observação para bisbilhotar a vida sexual das pessoas que se hospedavam em seu motel. Intrigado, Talese investiga os diários do proprietário, um complexo registro de suas obsessões e das transformações da sociedade americana, mas só após trinta e cinco anos o jornalista pode divulgar a história.
Ficha técnica
Autor: Gay Talese
Ano: 2016
Número de páginas: 251
Editora: Companhia das letras

Abusado

É um livro reportagem investigativo que conta a história de “Juliano VP”, nome fictício de Márcio Amaro de Oliveira, traficante criado na favela Santa Marta, no Rio de Janeiro, e sua relação precoce com o tráfico de drogas. O livro aborda questões sociais vistos pela ótica do “Poeta” como era conhecido, e de seus amigos e familiares. Considerada uma das obras mais polêmicas do jornalista, o Abusado mostra um lado até então desconhecido pela sociedade, o lado humano de bandidos e traficantes. Por meio de relatos e depoimentos o emocional é revelado, mostrando infâncias conturbadas, a proximidade com o tráfico de drogas, a relação conturbada com a polícia ou órgãos ligados ao governo e principalmente, a história e influência das organizações criminosas como o Comando Vermelho e as facções inimigas, Amigos dos Amigos e Terceiro Comando na vida da comunidade. O livro levanta discussões éticas, morais e políticas, e foi o vencedor do Prêmio Jabuti 2004 na categoria Reportagem e Biografia.
Ficha técnica
Autor: Caco Barcellos
Ano: 2003
Número de páginas: 560
Editora: Record

Presos que menstruam

A brutal vida das mulheres tratadas como homens nas prisões brasileiras. Reportagem sobre o cotidiano das prisões femininas no Brasil, um tabu no país, Nana Queiroz alcança o que é esperado do futuro do jornalismo ao ouvir e dar voz às presas e as suas famílias, narrando os episódios que as levaram à cadeia até o cotidiano no cárcere. Um livro obrigatório à compreensão de que não se pode falar da miséria do sistema carcerário brasileiro sem incorporar e discutir sua porção invisível.
Ficha técnica
Autora: Nana Queiroz
Ano: 2015
Número de páginas: 277
Editora: Record

Capa de "Holocausto Brasileiro"
Capa de "Holocausto Brasileiro" (Foto: Divulgação)

Holocausto brasileiro

É um livro que retrata os maus-tratos sofridos pelos pacientes do Hospital Colônia de Barbacena, através do depoimento de ex-funcionários e pessoas ligadas diretamente ao dia-a-dia do funcionamento do local. A organização assassinou 60 mil pessoas e chegou a arrecadar pelo menos 600 mil reais com a venda de corpos. O livro faz uma importante denúncia acompanhada de fotos de documentos oficiais e das condições enfrentadas pelos pacientes do hospital.
Ficha técnica
Autora: Daniela Arbex
Ano: 2013
Número de páginas: 276
Editora: Geração Editorial

Estação carandiru

O autor conta sua experiência como médico voluntário, a partir de 1989, na Casa de Detenção de São Paulo, na época a maior prisão do país, onde realizava atendimento em saúde, especialmente na prevenção da aids. Durante seu tempo trabalhando lá, Dráuzio Varella relata conversas com presos, agentes penitenciários e as condições enfrentadas pelos presos.
Ficha técnica
Autor: Dráuzio Varella
Ano: 1999
Número de páginas: 184
Editora: Companhia das letras

A vida que ninguém vê

O livro é uma busca dos acontecimentos que não viram notícia e das pessoas que não são celebridades. É uma procura do extraordinário contido em cada vida anônima. Um mergulho no cotidiano para provar que não existem vidas comuns. O mendigo que jamais pediu coisa alguma. O carregador de malas do aeroporto que nunca voou. O macaco que ao fugir da jaula foi ao bar beber uma cerveja. O álbum de fotografias atirado no lixo que começa com uma moça de família e termina com uma corista. O homem que comia vidro, mas só se machucava com a invisibilidade. As fascinantes histórias da vida real.
Ficha técnica
Autora: Eliane Brum
Ano: 2006
Número de páginas: 136
Editora: Arquipélago Editorial

O Povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Política e dinheiro

O caminho do vírus