Anúncios Parceiro Magalu - Erigleissonevoce

DONA JUSTA, CADÊ VOCÊ?

Por Carlos Delano Rebouças*

Resultado de imagem para prof carlos delano reboucas amlefSempre nos lembramos da Dona Justa, pois, a cada momento, a sociedade nos oferece razões para que essa velha senhora, que nasceu, antes mesmo da humanidade ser constituída, venha a nossa lembrança.

Dona Justa já está bem velhinha...! Bem velhinha mesmo! Mas vem sofrendo tanto com as atitudes de quem insiste em contrariá-la...

Dona Justa, como gosta de ser tratada, espera que seja honrada, sempre, por todos nós, independentemente da cor, raça, etnia, religião e da condição econômica e social, ou seja, ninguém deve se achar acima dela ou isenta do seu puxão de orelhas.

Todavia, nem sempre nos comportamos dignamente com ela, e como contrariamos essa velha senhora!

Um dia, vi nas redes sociais um homem que, do nada, agrediu uma pequenina criança na rua. Um espancamento gratuito e injustificável! Absurdamente inaceitável aos olhos de tantos espectadores temerosos, quem sabe, perplexos e impotentes, que sentiam naquele momento a ausência de Dona Justa.

Que falta fez para aquela criança em deixar de punir aquele homem, desequilibrado, endiabrado, que escolheu descarregar todo um ódio, toda sua raiva e toda a sua insanidade numa pobre criança, inocente e órfão de justiça.

Como falamos, atitudes como estas, semelhantes, que fogem aos olhos de Dona Justa, ou que pode parecer a quem comete atrocidades afins, podem ser cometidas porque Dona Justa anda muito ocupada. Sua ocupação nem sempre estar em fazer justiça neste país e no mundo, mas na sua eterna luta contra aqueles aproveitadores de sua fragilidade, de suas limitações e de sua impotência.

Dona Justa passa a não ser mais temida e respeitada. No mundo em que vivemos, muitos não mais temem e respeitam os mais velhos, e seus ensinamentos, e com Dona Justa não seria diferente.

Contudo, Dona Justa, para quem não sabe nem acredita, conta com um aliado forte, poderoso, e porque não, justo. Ele se chama Deus, e sua justiça não falha.

Diante de seus olhos, ninguém escapa e ninguém esconde nada. Atitude alguma passa despercebida, muito emenos isenta de seu julgamento. Podem até enganar aquela velha senhora, Dona Justa, que reluta em fazer justiça entre os homens, mas é puro engano, pois significa somente a primeira instância de seu julgamento, pois no seu tribunal, a justiça é feita.

*Professor de Língua Portuguesa e redação, conteudista, palestrante e facilitador de cursos e treinamentos, especialista em educação inclusiva e revisor de textos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mazagão: terra árida e abençoada

Longos cabelos eternos