Anúncios Parceiro Magalu - Erigleissonevoce

De casa nova: Carolina Maria de Jesus na Companhia das Letras

Editora irá recuperar os textos de Carolina a partir dos cadernos originais e publicará ainda diversos títulos, como escritos memorialísticos, romances, poesia, música, teatro e narrativas curtas
A Companhia das Letras anunciou no fim da última semana que passará a publicar a obra de Carolina Maria de Jesus, que ficou conhecida pelo livro Quarto de despejo: Diário de uma favelada (1960), organizado pelo jornalista Audálio Dantas. 
Nascida em Sacramento (MG), em 1914, a escritora viveu a maior parte da vida em São Paulo (na favela do Canindé, em Santana e em Parelheiros) e exerceu diversos trabalhos informais. Em cadernos que encontrava no lixo, deixou uma extensa produção literária. Mas muitos de seus escritos permanecem inéditos ou fora de circulação há décadas. 
A Companhia, irá recuperar os textos de Carolina a partir dos cadernos originais, espalhados por diversos acervos pelo Brasil. O projeto da editora incluirá diversos títulos, como escritos memorialísticos, romances, poesia, música, teatro e narrativas curtas, entre outros. A edição da obra será supervisionada por um conselho editorial composto por Vera Eunice de Jesus, filha de Carolina, pela escritora Conceição Evaristo e pelas pesquisadoras Amanda Crispim, Fernanda Felisberto, Fernanda Miranda e Raffaella Fernandez. 
O primeiro lançamento será Casa de alvenaria, parte integrante da série Cadernos de Carolina, que publicará os diários da escritora buscando a integridade dos manuscritos originais. O livro retoma o título de 1961, porém ganha edição completamente refeita e ampliada. A ideia é que o leitor tenha um registro detalhado e completo da experiência de Carolina após se mudar para o bairro de Santana, e de sua luta pelo reconhecimento como escritora.
Outros volumes da série incluirão cadernos que retratam a vida na favela, suas viagens e os últimos registros memorialísticos da escritora.
Via Publishnews 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livro resgata conteúdo de cartas recebidas por João Goulart

Padre Geovane: 32 anos de vida sacerdotal

SP também prepara sua candidatura para Capital Mundial do Livro 2022