Anúncios Parceiro Magalu - Erigleissonevoce

Um domingo incomum

O dia de domingo já começou especial. O Sol parecia brilhar com mais intensidade, mas não estava de rachar, acalmado que era pelas ventanias típicas do mês de agosto. Mas não era somente por isso. As pessoas pareciam ter adquirido um semblante diferente, com aura de certo mistério; no entanto os olhos pareciam sorrir.
O parque foi reaberto para a visitação pública e, aos poucos, de forma cautelosa, comedida, reticente, como quem bota o pé na água para ver se não está gelada demais para então se aventurar a mergulhar, começaram a aparecer alguns jovens, adultos, crianças, idosos... O parque não lotou, como de costume, em épocas nem tão longínquas assim. Havia um respeitoso distanciamento entre as pessoas, até entre aquelas pertencentes à mesma família.
Do alto da janela, eram cenas bonitas de se ver: algumas crianças andavam em suas bicicletas, tentando imprimir o máximo de velocidade que suas pequeninas pernas eram capazes; um menino jogava bola com o pai e, de vez em quando, tinha que buscá-la quando chutada ao longe; um casal de namorados deitado sob a verde grama; uma família fazendo um piquenique, saboreando os lanches e sucos trazidos; outros faziam caminhadas, tentando queimar as calorias adquiridas; havia, também, em frente ao parque, vários carros antigos estacionados, com seus proprietários felizes em poderem voltar a exibir suas preciosidades há tanto tempo na garagem.
Era um dia de domingo incomum: para quem a tudo observava, do alto da janela do apartamento de frente para o parque, bem como para quem nele estava, usufruindo dos suaves encantos de momentos tão simplórios e que, somente agora, puderam ser valorizados e percebidos em toda a sua intensidade e magnitude.
Era um dia de domingo incomum, ainda assim, curtido deliciosamente após um longo período de reclusão imposto por uma assustadora epidemia que teimava em não ir embora de uma vez por todas.
Poderia ser um dia de domingo comum, como outro qualquer, não fosse um único detalhe: o uso da máscara.

Grecianny Cordeiro
Escritora

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lampião: como o assassino brutal construiu a imagem de herói

Oficina Raquel e Jandaíra lançam coletânea de poemas e ensaios eróticos

Sesc lança podcast de Literatura com interpretação